Crisis Jung

“Crisis Jung”

 

França |  2017  | 70 minutos | Diretores: Baptiste Gaubert e Jérémie Hoarau

Bem-vindo a um mundo devastado por explosões de violência, um mundo sem amor. Jung, o herói de coração partido, prossegue sua jornada: reconstituir seu amor perdido, Maria, selvagemente decapitada por Pequeno Jesus. Ele conta com o apoio dos aliados que encontrou ao longo de seu caminho sangrento, aliados que o ensinarão muito sobre os outros, mas acima de tudo sobre si mesmo. Ele também tem que lidar com suas explosões de violência, uma maldição incontrolável cuja origem está no fundo de seu coração.

 

Nascido em 1980 em Nimes, na França, Baptiste Gaubert foi criado em uma família de artesãos. Como muitas crianças, ele desenhava muito. Como sua mãe é ceramista, ele descobriu muito cedo como interpretar e traduzir seus desenhos em volume. Mesmo agora, Gobi considera seu senso de volume uma das coisas mais valiosas que ele aprendeu em design. Os programas infantis de TV também contribuíram para a expansão da imaginação de Gobi graças à importação em massa de séries animadas japonesas e americanas durante seus anos mais formativos. Durante os anos 90, Gobi descobriu videogames e ficou impressionado com seus incríveis universos e personagens. Na mesma época, ele também teve acesso a filmes reservados a uma audiência mais antiga, como Robocop ou Terminator.

Gobi decidiu fazer aulas de arte no ensino médio. Lá ele conheceu Bill, e juntos eles procuraram aprofundar sua educação em Ilustração na ESAD School of Art, em Estrasburgo. Foi lá que eles conheceram Fabien Mense. Gobi se formou em 2003 e começou a trabalhar para a revista Tchô em sua primeira história em quadrinhos publicada com Bill: "The Zblucops". Mais tarde, Gobi participou da antologia de quadrinhos "Lucha Libre", juntamente com Fabien e Bill, para os quais Gobi criou a série "Tequila" com Jerry Frissen. Em seguida, ele fez sua própria história em quadrinhos "Goligo" (publicada por Glenat) e co-dirigiu animações de "Sidera" no longa-metragem "Lou", de Julien Neel. "Crisis Jung" é sua primeira série animada, co-dirigida por Jeremie Hoarau e co-criada com Jeremie Perin.

Aos 7 anos, Jérémie Hoarau dirigiu "Fabienne Dupond", com dois amigos que ele encontrará novamente 15 anos depois. Nesse meio tempo, não dá pra dizer que ele está dando tudo de si. Mas ele vem recuperando o atraso. Ele já trabalhou em muitas séries de TV como "The Island in Lili", "Boyster" e longas-metragens como "April and the Extraordinary World", "The Swallows of Kabul". Em 2016, foi assistente de direção na série animada "Lastman". Ele assina seu primeiro trabalho de produção com "Crisis Jung", co-dirigido com Baptiste Gaubert no estúdio Bobbypills.

Os franceses Baptiste Gaubert e Jérémie Hoarau são diretores, roteiristas e animadores digitais que já trabalharam juntos previamente em "Lastman", série francesa de animação vencedora de dois Emile Awards em 2017, cerimônia de premiação de animação europeia.